★★★★
★★★
★★
★★★★★
★★★★
★★★★
★★★★

31 de agosto de 2015

(Review 23) - O Duque e Eu

17786077Título Original: The Duke and I
Autor: Julia Quinn
Editora: Ediciones Urano / Avon / Edições Asa / Harper Collins / Arqueiro
Páginas: 288 Páginas
Publicação: Abril de 2013
Goodreads / Skoob / Lecturalia
*** Livro 1/9 - Série Os Bridgerton ***

*** Para leer la versión de esa misma reseña en Español, haz click AQUI ***


Pode haver um desafio maior do que um duque solteiro? Simon Basset, recém nomeado Duque de Hastings, está prestes a pedir a mão de Daphne Bridgerton em casamento. Daphne é a irmã de seu melhor amigo e quase uma solteirona, mas somente eles dois conhecem a verdade... Tudo não passa de um plano com dois intuitos: proteger o charmoso duque dos avanços das moças solteiras e aumentar as chances de Daphne de conseguir um bom partido depois de ter sido cortejada por um duque. No entanto, enquanto Daphne valsa pelo salão de baile nos braços de Simon, fica difícil se lembrar de que aquele romance é apenas encenação. Daphne não tem certeza se é o sorriso sedutor de Simon, ou se é o jeito como ele olha para ela, mas a verdade é que ela está se apaixonando... de verdade! E agora, ela precisa fazer o impossível para convencer o atraente duque de que o plano que ambos tão bem arquitetaram merece uma ligeira alteração, e que talvez os dois descubram que pode ser bem melhor e eficaz se a farsa se transformar em realidade...




13456552Já perdi as contas de quantas resenhas eu li dos livros de Julia Quinn. Julia é mais uma autora que é praticamente unanimidade para os leitores, a grande maioria ama os seus livros e há pouco tempo comecei a me aventurar no mundo dos romances históricos, então a decisão de ler um livro da Julia Quinn era mais que óbvia e necessária, afinal, quem não tem curiosidade de conhecer o trabalho de um autor tão elogiado?
Uma parte de mim tinha muitas expectativas. Eu tinha certeza que o livro era muito bom, porque eu li dezenas de resenhas que amam essa série. Outra parte de mim lembrava que todo mundo ama os livros de David Levithan e John Green e eu sequer consigo passar da metade, eu realmente não gosto dos livros deles. Talvez eu seja um pouco incomum, mas sou sincera e o que eu não gosto, eu realmente assumo que não gostei... Então, voltemos à Julia Quinn:
Eu gostei do livro, claro que sim. É um romance histórico, muito bem construído, com diálogos inteligentes. Gostei da escrita da autora, Julia realmente é talentosa e sabe o que escreve, pelos seus livros se nota que há uma dedicação e uma pesquisa de fundo, ela é uma escritora criativa, que contrói personagens secundários tão agradáveis que conseguem iluminar a história com suas aparições. Seria mentira se eu disser que não gostei de O Duque e Eu. Mas também seria mentira se eu disser que foi o livro do ano pra mim.
O livro de Julia Quinn é bom, os Bridgerton são uma família numerosa e divertida. Violet, a mãe, conquistou meu coração para sempre, seus momentos são excelentes. Impossível não se apaixonar também por Colin Bridgerton e Benedict Bridgerton, fala sério, esses dois meninos trouxeram um brilho à mais. Não morri de amores pelo irmão mais velho, Anthony, mas posso suportá-lo também. Porém, tive um problema com os dois personagens principais do livro, Daphne e Simon. 
Ao princípio, Daphne me pareceu muito graciosa, engraçada, leve, divertida, mas confesso que seu desespero por um casamento e posteriormente seu desespero por um filho (quando o casal tinha apenas algumas semanas de casados!!) me deixaram desanimada de verdade na leitura. Um ponto positivo é que Julia criou personagens muito humanos, nada de super mocinhas cheias de virtude que nunca erram. Daphne erra e quando ela quer algo, ela usa as suas artimanhas, sem nem pensar duas vezes. Simon, embora ressentido com a vida, não é completamente carrancudo, enfim, é um casal humano. Porém algumas contradições me tiraram qualquer empolgação. Vejamos, Daphne, em seu primeiro beijo com Simon, ele consegue despi-la toda a parte de cima do vestido. Imaginem vocês uma menina de familia, do século XIX, que não sabe o como funciona a relação entre um homem e uma mulher, que nunca foi beijada, de repente se deixa despir quase inteiramente sem fazer nenhuma oposição? Achei aquilo surreal, e avançado demais para uma garota do século XIX. Minha avó que foi uma alegre donzela da década de 1950 me conta como foi difícil para o meu avô conseguir um primeiro beijinho. Foram flores, juras de amor, visitinhas. As garotas de 70 anos atrás não eram nada fáceis, o que se pode pensar então de uma garota de 200 anos atrás? O que me incomodou não foi apenas isso, mas sim o fato que logo após essa pegação toda entre Daphne e o duque, a mesma Daphne capítulos depois já não sabe como é a relação entre um homem e uma mulher e parece uma criança perguntando à sua mãe sobre as coisas, alcançando o top máximo de inocência (o que seria esperado para uma mocinha do século XIX). Mas espere!!! Nos capítulos anteriores a donzela sabia exatamente metade do roteiro já que não se importou em se despir diante de Simon, e então algumas páginas depois a personagem possui a inocência da Chapéuzinho Vermelho? Eu sei que isso é um mero detalhe do livro, eu sei que pode ser que a autora retratou simplesmente uma garota inocente que ao se permitir ser desnuda, foi sob a influência de um homem mais experiente, mas achei aquilo um pouco surreal ao se retratar uma inocente moça de família do século XIX. 
Como eu já disse, me cansou as atitudes de Daphne em alguns pontos do livro, sua obsessão por casamento e depois por filhos, e as artimanhas usadas por ela para satisfazer suas vontades. Eu gosto de mocinhas valentes e corajosas, e não mocinhas que se lançam aos pés de um homem e imploram por casamento. Eu gosto de histórias onde a mocinha rejeitada dá a volta por cima e coloca aquele mesmo homem aos seus pés, e não de mocinhas que usam de artimanhas para se casar, ainda que seja à força se precisar. Em resumo, Daphne não é minha personagem favorita, e tampoco o foi o duque. 
Simon é um homem que aprendeu a ser frio e rude, devido à sofrimentos e dores intensas durante sua infância, a morte da mãe, a rejeição de um pai cruel, tornaram Simon um homem distante e que se sente indigno de amor, um homem movido por um desejo de vingança contra seu pai. É um personagem interessante, gostei mais dele do que de Daphne, até porque Simon, sempre foi honesto, sincero, ele nunca negou suas intenções, seus planos, Simon não usou de artimanhas para conseguir as coisas ao seu favor, e eu admiro personagens assim, porque isso é o que eu espero das pessoas ao meu redor, honestidade, verdade, sinceridade. Porém, eu havia lido à pouco tempo, El Deseo de Harmony, e esse livro possui muitas semelhanças com o livro de Julia Quinn, incluindo na personalidade dos personagens masculinos, então talvez, como eu já havia acompanhado recentemente um personagem masculino semelhante à Simon, eu não consegui amá-lo de paixão e achá-lo diferente ou melhor do que qualquer personagem masculino de outros livros.
Eu li esse livro relativamente rápido se for analisar que não foi um livro que me encantou completamente. Acho que li o livro em 3 ou 4 dias, acabei demorando um pouco mais próximo do final, mas porque eu realmente não senti nenhuma empatia por Daphne. Portanto, o fato de eu ter lido até que rápido certamente se deve ao talento da autora que de alguma maneira conseguiu prender minha atenção ao ponto de eu conseguir seguir adiante na história mesmo sem gostar da personagem principal, portanto, como o restante da série não se trata mais de Daphne, mas agora cada livro deve focar em cada um de seus irmãos e irmãs, eu quero seguir acompanhando, já que esses outros personagens me agradaram muito. Meus preferidos foram Violet, Colin e Benedict e estou curiosa para ver mais deles. Todas as vezes em que o livro conseguiu sacar de mim algum sorriso ou até risada, foram em partes com estes personagens, então eu realmente quero conhecer o desfecho deles. Além disso, como a escrita de Julia me prendeu, eu pretendo tentar me arriscar em alguma outra série da autora que possui um montão de livros lançados em português / espanhol e de fácil acesso. Na verdade eu já tenho outros livros da Julia Quinn aqui, incluindo as continuações da série dos Bridgerton e também uma outra trilogia dela que a sinopse me deixou curiosa para ler e que acredito que esse pode me conquistar muito.
Não há muito o que falar da história sem soltar spoilers. É o romance histórico básico: mocinha de boa família conhece duque sedutor e cortejado e ambos se envolvem após uma série de eventos. Eu já perdi a conta de quantos livros históricos que seguem exatamente essa mesma premissa e se pode encontrar por aí, então realmente o que faz a diferença é o trabalho do autor, aquela escrita que prende o leitor e aquele talento que destaca o nome do autor dos demais. Eu indico o livro da Julia Quinn, porque acredito que muitos podem até gostar da Daphne, e mesmo que não gostem como foi o meu caso, certamente gostarão de alguém da familia Bridgerton, e se sentirão entusiasmados para conhecer o desfecho de seu personagem favorito. Um ponto muito legal do livro é a introdução do misterioso personagem de Lady Whistledown, a "gossip girl" do século XIX. Se trata de um misterioso personagem que publica todas as fofocas e escândalos da sociedade em sua revistinha apimentada, ninguém conhece sua identidade mas de alguma maneira ela sim sabe tudo oque está acontecendo e não se incomoda de expor cada uma das boas damas com seus comentários ácidos. Gostei disso, deu um ar de mistério à história e me deixou no mínimo curiosa para conhecer a identidade dessa misteriosa lady. Eu já tenho a minha suspeita, mas como cabeça de autor é uma caixinha de surpresas, vou esperar pela revelação da Julia Quinn nos próximos livros (se é que ela vai revelar quem é).
O plano histórico do livro é bom, a autora não oferece detalhes acerca da situção política ou social, mas de qualquer maneira não é um fato necessário já que o livro possui uma perfeita descrição dos ambientes e dos costumes da época. Como já disse fiquei curiosa para conhecer o destino e o desfecho dos outros personagens da família Bridgerton e espero me identificar e me envolver mais nas próximas continuações da série.






Julia QuinnJulia Quinn (Nova Inglaterra, EUA, 1970) é o pseudônimo de Julie Cutler, escritora americana. Ela se graduou em História da Arte pela Universidade de Harvard, iniciou seus estudos de Medicina pela Universidade de Yale, o qual acabou não concluindo por conta do grandioso êxito de seus livros. Entre suas obras mais populares está a série de livros protagonizada pela família Bridgerton. As histórias de Julia ganharam rapidamente a reputação de envolventes e divertidas, e os diálogos de seus livros estão entre os melhores do mercado literário.
Site oficial: www.juliaquinn.com


E vocês? Já leram as histórias da Julia? Gostaram??

Um Grande Beijo ! Nos Lemos !!!

14 comentarios:

  1. Sou louca pra ler um livro de Julia, ainda não li, mas está na minha lista. haha Beijos :*
    - contosdeescritores.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. A Julia é praticamente referência quando o assunto são romances históricos, eu achei a escrita dela muito boa

      Beijoas

      Eliminar
  2. Oi Alice,
    Ah essa autora está fazendo 'tour' aqui no Brasil haha gostam muito dela.
    Tinha prometido ler algo dela antes do evento literário, sábado, mas não sei se vou conseguir.

    Esse livro é bastante elogiado, gosto dos romances históricos, meu medo é justamente esse que o seu.
    Eu também tive um desânimo com John Green e nossa, espero ler Julia sem expectativa nenhuma.
    E que família grande haha

    Adorei saber sua opinião.

    bjs e tenha uma maravilhosa semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Oii Nana

      Aii eu adoraria encontrar ela em alguma Fiera do Livro ou Bienal, ela tem jeito de ser super simpática. Fiquei sabendo que a Colleen Houck tb estaria no Brasil e estou morrendo de inveja de vcs...haha (inveja boa hein). O John Green acho que é o caso do ame ou odeie, existe gente como nós que se decepcionou muito e outros amam o homem, já percebi que achar um meio termo é que é raridade...

      Beijokas

      Eliminar
  3. JULIA QUINN!!!!!!!!!!! Que vontade! Acredita que ainda não li nenhum livro dela? Mas minhas amigas do blog são alucinadas e ela está na minha lista de leitura, certeza. Elas também disseram que os livros não fornecem muito do contexto histórico em si, mas acredito válido um bom romance para nos fazer feliz.
    Gostei muito de sua resenha!
    Beijos

    http://www.garotapaidegua.com.br/

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Oii Fê

      Ela não fornece muitos dados históricos, mas algo na escrita dela, na maneira como ela desenvolve a história , te transporta pra aquela época. A falta de descrição exata do momento histórico não faz muito falta não.

      Beijokas

      Eliminar
  4. Acredita que não conhecia nenhum desses livros? E nem a autora?, MAS, vou procurar, porque se ela é uma ótima escritora e todos falam bem, deve ter um ótimo trabalho também né?

    Adorei !! <3
    http://www.1001julietas.com/

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Eu fui procurar sobre ela movida pelas resenhas e comentários que li à respeito. Se vc gosta de romances históricos, ela é tipo uma referência que vale a pena ler...

      Beijokas

      Eliminar
  5. Oie
    Eu amo os livros da Julia Quinn e romances de época, mas ela é minha autora favorita.
    Gosto muito dessa série, e este livro ainda continua sendo o meu favorito entre todos ja publicados. Adoro.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Oii Nessa

      Eu não tive muita empatia pelo casal principal, mas gostei da maneira como a autora desenvolve a história, e amei a familia Bridgerton. A mãe se tornou o amor da minha vida...rrsrs

      Beijokas

      Eliminar
  6. Olá,
    Não gosto muito desse tipo de livro, já tive experiências com obras semelhantes, mas não me dei bem com esse gênero em especial. Mas sempre leio elogios sobre essa autora e creio que as obras dela devem mesmo agradar a muitas pessoas que gostam desse tipo de livro.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. é Inês. ai é questão de gostar mesmo. Eu sou fã de fantasias e distopias, e por mais que as pessoas queiram me indicar e recomendar certos autores de New Adult (Abbi Glines por exemplo) eu nem me esforço de ir tentar ler, porque eu me conheço e já sei que não é meu gênero sabe? A gente curte o autor que escreve dentro do que nos chama a atenção, se a gente não gosta do assunto, não adianta, pode ser o Shakespeare e mesmo assim a leitura não flui (aliás com o Shakespeare não fluiria mesmo, porque eu nunca consigo entender nada dos livros dele)...haha

      Beijokas

      Eliminar
  7. Parabéns pela resenha Alice! Estou ansiosa para ler O Duque e Eu e O Visconde que me Amava e espero não me decepcionar. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Van, se vc gosta de romances históricos, acho que a Julia Quinn vai te agradar e muito, ela tem uma maneira agradável de escrever que te prende à história mesmo que vc não simpatize com algum personagem (como inclusive foi o meu caso)

      Beijokas

      Eliminar